Flores de Jardim


Ilustrador não identificado.
Postal circulado em 1900.
A Alma das Flores

      Com exceção de Afrodite, não existe nada neste planeta mais adorável que uma flor, nem nada mais essencial que uma planta. A verdadeira matriz da vida humana é a vegetação que cobre a Terra.

      O dogma de Aristóteles – as plantas têm alma mas não sentem - durou até a Idade Média: só então Carl Von Linné, o avô da Botânica moderna, declarou que as plantas diferiam dos animais e dos seres humanos apenas por serem privadas de movimentos. E somente Charles Darwin, já no século XIX, derrubaria este conceito, ao provar que cada filamento de uma planta tem o poder de mover-se, conclusão confirmada no início do século XX pelos estudos do biólogo Raoul Francé: “as plantas, declarou ele, movem seus corpos tão livre e facilmente quanto o mais hábil ser humano”.

      Mais longe do que ele, porém, foi o fisiólogo hindu Chandra Bose, diretor da Universidade de Pesquisas de Calcutá: suas experiências mostraram que as folhas reagiam quase da mesma maneira que os músculos dos animais.

Fonte: Tompkins/Bird “ A Vida Secreta das Plantas” 5/e, Exped Editorial, Rio, 1978.

Índice

 1. LILIACÉES
 2. COMPOSÉES
 3. PHIMULACÉES
 4. PRIMULACÉES
 5. IRIDÉES

 6. LILIACÉES

 7. AMARYLLIDACÉES
 8. CRUCIFÈRES
 9. RENONCULACÉES
10. SAXIFRAGACÉES
11. PRIMULACÉES
12. CRUCIFÈRES

60. PORTULACACÉES
61. ACANTHACÉES
62. HYDROPHYLLACIÍES
63. CONYOLVULACÉES
64. LABIÉES
65. COMPOSÉES

66. SCROFULARIACÉES
67. ONAGRARIACÉES
68. PAPAVÉRACÉES
69. TROPAEOLACÉES
70. COMPOSÉES
71.
COMPOSÉES

 72. COHPOSÉES
 73. CUCURBITACÉES
 74. VALÉRIANACÉES
 75. CCMPOSÉES
 76. COMPOSÉES
 77. COMPOSEES

117. RÉSÉDACÉES
118. SOLANACÉES
119. IRIDACÉES
120. COMPOSÉES
121. LILIACÉES
122.
ZlNGIBÉRACÉES

123. POLÏGONACÉES
124.
PLUMBAGINÉES
125. COMPOSÉES
126. COMPOSÉES
127. CAMPANULACÉES
128. RENONCULACÉES

[Flores]