O SIMBOLISMO NA OBRA DE ALPHONSE MUCHA

Paulo Bodmer
Fernando Campos

         Todo colecionador de antigüidades gráficas - mais precisamente o cartofilista - gostaria de ter cartões - postais de Alphonse Mucha (1860-1939). Quem nunca ouviu falar da Belle Epoque não sabe que este século de guerras já teve seus dias de esplendor. A Belle Epoque foi, acima de tudo, um estado de espírito que dominou o mundo, a partir da França, do final do século XIX até a eclosão da Primeira Grande Guerra, em 1914.E, por incrível que pareça, até hoje fascina os colecionadores, porque fonte inesgotável de matéria de colecionamento de memória artística e urbana. E todos aqueles que colecionam peças gráficas postais ou se interessam por arte conhecem Mucha, famosíssimo nessa época, uma das fases áureas da cartofilia.


PARIS ERA O CENTRO DO MUNDO

        Mucha, o ilustrador mais badalado da cartofilia de arte, desenhou uma infinidade de posters/cartazes, quando esteve em Paris. Essas peças foram reproduzidas em postais, raros, hoje em dia. Por outro lado, há também uma grande produção artística feita na sua terra natal. Neste artigo mostramos algumas dessas peças gráficas e das séries francesas destacamos:

Série CINOS: editor francês que em 1898 divulgou a primeira grande série de cartões-postais, posters/cartazes criados pelos grandes mestres. Postais que foram publicados por Chaix, sob a direção de Roger Marx, de 1895 a 1900. A série, que conta com mais de 30 cartões de arte, apresenta trabalhos de Lautrec, Meunier, Grasset, Chéret, Pal, Redon e 5 de Mucha: 4 com a atriz Sarah Bernhardt e um de propaganda das bicicletas Waverley.

Série CHAMPANHE MOET ET CHADON: Mucha desenhou para o editor Champenois, em 1899, dez artísticos menus de 220 por 150 milímetros, vinculados à champanhe Moet et Chandon. No ano seguinte essas peças foram transformadas em cartões-postais..

Série CHAMPENOIS: perspicaz, Champenois contratou Mucha, e por um salário altíssimo, por conta de ter a exclusividade da publicação de seus trabalhos, foi um dos primeiros editores de cartões-postais de arte. A partir de 1898 ,e nos anos seguintes, editou 7 séries de doze postais cada. A Hera, aqui reproduzida, (Fig.1) faz parte da última série.

Série JOB: os donos dessa marca de cigarros, apaixonados pelo Art Nouveau, optaram por fazer propaganda de seu produto através da obra de artistas famosos, como Lautrec, Atché, Brouisset, Chéret, Cappiello e Mucha.


1

DE VOLTA À TERRA NATAL

        Ao retornar a seu país em 1909, Mucha desenha uma composição intitulada "Lembrança de Ivancice" - onde nascera, em 1860. O postal, de extraordinária beleza, é considerado uma das mais sensíveis obras simbolistas do artista, mostra uma garota sonhadora perdida no meio de uma revoada de andorinhas, tendo ao fundo a igreja de sua aldeia natal.(Fig.2).

        Ainda em 1909 o editor Stenc, de Praga, decide reproduzir, em offset, 6 imagens das Beatitudes. "Felizes os pobres de espírito" é o titulo de uma destas ilustrações (Fig.3).


2

3

        Foi nessa época que Mucha iniciou a pintura de afrescos para a prefeitura de Praga. Em 1912 Stenc publicou uma série de 15 reproduções desse trabalho, mostrando o salão, o teto, os murais, a decoração da sede dessa prefeitura, que representam as virtudes cardeais - como a Justiça (Fig.4), onde aparece a figura de Jan Hus, reitor da Universidade de Praga - fundada em 1348 por Carlos IV, rei da Boêmia - e reformador religioso condenado a morte pela fogueira em 1415.
         Em 1910 o milionário Charles Crane, amigo de Masaryk, futuro presidente da primeira república theco - eslovaca, decide patrocinar o projeto Epopéia Eslava, a que Mucha dedicaria o resto de sua vida, e que compreenderia a pintura de 20 telas imensas - de 4 por 6 metros -- , com cenas da vida tcheca e outras consagradas a tribo eslava, distribuídas em 4 temas - alegórico, religioso, militar e cultural. Cinco telas ficaram prontas e foram exibidas em Nova Iorque em 1921. Apresentadas em Praga em 1928, foram reproduzidas, imediatamente, em cartões-postais preto e branco. Também ilustra este artigo o postal "Rússia Restituenda" (Fig.5) , sobre o tema da fome - uma dolorosa imagem, que nos revela o quanto Mucha se sentia abalado com a miséria de um outro povo eslavo, exangue, a época, de 4 anos de guerra civil.

  
     4           5

A ALTA COTAÇÃO DE MUCHA

        Como afirma o professor-documentalista Antônio Miranda, um dos maiores especialistas brasileiros em cartofilia, "uma coleção de cartões-postais antigos sem nenhum Mucha é uma coleção com "c" minúsculo". E é dificílimo reunir postais de Mucha, por sua raridade, por sua alta cotação de mercado.

        Waverley Cycles (Fig.6) é um cartão de propaganda publicado em 1898. Como se pode notar, a ilustração só ocupa a metade do verso do postal. Mas Bowers e Martin, autores de "The postcards of Alhonse Mucha", editado em 1980, informam que só conhecem 2 exemplares dele. E Diane Allmen, autora de "Postcards, the official price guide", primeira edição de 1990, cita que só são conhecidos, à época, 5 exemplares dessa peça, cotada em cerca de treze mil e quinhentos dólares.

6

        Em 1999, esse cartão ilustrou a capa do mais importante catálogo de cartofilia, "Neudin des Cartes Postales", que o aponta como um dos recordistas dos leilões .Assim é que, em se tratando de Mucha, o dinheiro ganha uma conotação completamente secundária.
(BOD) (FFC)

Fonte das ilustrações: as figuras 2 e 6 são do livro de Weill, Alain "Alphonse Mucha, Toutes les Cartes Postales", Bertil Hjert, Uppsala, Sweden, 1983. As demais são dos autores do artigo.

Autores: Paulo Bodmer, Prof. de Cultura da UFRJ
              Fernando Campos, Prof. de Comunicação da Univercidade

[Ensaios]
[Ruth] [Coca-Cola] [Figurinhas]