O Acervo Escultórico do Rio de Janeiro

 
pag 11


Monumento a Frei Leandro do Sacramento

Construído sobre um cômoro que se fez com a terra retirada na construção do lago. Diante dele há um relógio de sol e uma mesa chamada “Mesa do Imperador” No interior encontra-se um velho sino com escudo do império e, finalmente, em bronze sobre uma base de pedra encontra-se o busto do Frei. (Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro / Divisão de Monumentos e Chafarizes da Fundação Parques e Jardins)



http://www.marcillio.com/rio
 
Sacerdote e botânico, nasceu no Recife, em 1778. Formado em Filosofia pela Universidade de Coimbra, retornou a Pernambuco em 1806.
No Rio de Janeiro, foi o primeiro professor de Botânica na Academia Médico-Cirúrgica, procurador-geral de sua ordem religiosa e, em 1824, foi nomeado diretor do Jardim Botânico da Lagoa Rodrigo de Freitas, o primeiro após a independência. Neste período o parque estava abandonado e foi sob a administração do Frei que a função inicial do Jardim foi muito ampliada. De um simples terreno para a introdução e aclimatação de plantas, ele passou a funcionar como um instituto científico dedicado ao estudo e à experimentação. Além de dar início ao cultivo de algumas plantas, inclusive o chá (especiaria cujo hábito o Frei tentou desenvolver aqui no Brasil).

Além disso, Leandro promoveu um intercâmbio de espécies com o Jardim Botânico de Cambridge e distribuiu sementes e plantas aos jardins do Pará, de Pernambuco e da Bahia. Como o pouco valor econômico desses produtos se tornou evidente, o Jardim Botânico passou a ser um centro de estudos tradicionais de taxonomia vegetal, e principalmente um parque agradável e lugar de recreio para a população do Rio de Janeiro.

Membro de várias entidades naturalistas estrangeiras (Academia Real de Ciências de Munique, entre outras), publicou "Memória sobre as Nitreiras Naturais ou Artificiais deste País" (1808).
Morreu, de problemas pulmonares, no Rio de janeiro, a 01-07-1829.
Hoje temos no parque o Lago Frei Leandro e o referente busto em homenagem a um dos mais importantes diretores do parque. Foram também através das suas aulas de botânica ministradas no passeio publico, que surgiram os pioneiros da farmácia no Brasil, exemplo de Ezequiel Corrêa dos Santos, um dos alunos do curso.

http://www.ufpe.br/farmacia
http://www.schwartzman.org.br
www.coc.fiocruz.br
www.pe-az.com.br


Monumento a Louis Pasteur

A inauguração do pequeno monumento do grande cientista ocorreu no começo da avenida de mesmo nome. em 14 de junho de 1925 por iniciativa da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro. Autoria do engenheiro arquiteto Heitor da Silva Costa, tendo a colaboração, na parte da escultura, do Professor Gronchi. Sobre o Pedestal de mármore trabalhado assenta o busto, em bronze, contendo na face anterior a inscrição: “Pasteur. Homenagem de saudade da Sociedade de Medicina do Rio de Janeiro, em nome dos médicos brasileiros”.
A longa meditação, dos últimos anos de vida do grande sábio em busca da solução do problema da raiva, está recordada no simbolismo de um cão, esboço que emerge da base do pedestal. (Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro / Divisão de Monumentos e Chafarizes da Fundação Parques e Jardins)

Louis Pasteur nasceu em Dôle, parte oriental da França, em 27 de dezembro de 1822. Este fez várias descobertas que tiveram um grande impacto na medicina, tendo inclusive sido responsável pelo o início da microbiologia.
Em 1847, ao estabelecer relações entre a cristalografia, a química e a óptica, realizou seu primeiro trabalho que revolucionou o que hoje conhecemos por estereoquímica.
Em 1859 inicia os seus estudos sobre geração espontânea e descobre a vida anaeróbia, onde os seres vivos não necessitam do oxigênio para realizar a respiração. Foi incumbido de examinar o porquê da contaminação do álcool durante o processo de fermentação. A partir desses estudos, Pasteur afirma: “A fermentação é uma conseqüência da vida sem oxigênio”.

 


Diário de Notícias. Monumentos da Cidade, Rio de Janeiro - 1946

A partir daí passou a se utilizar a fermentação na fabricação de vinhos, em conseqüência foi chamado para investigar algumas doenças causadas por microorganismos que atacavam os vinhos. Sugeriu então, que o vinho deveria ser aquecido à 55ºC por alguns minutos aniquilar estes microorganismos. Este processo de aquecimento passou também a ser aplicado na cerveja e no leite. Este processo foi denominado de pasteurização, e até hoje este procedimento é utilizado em todo mundo.
Entre 1877e 1887 Pasteur descobriu três bactérias responsáveis por doenças nos homens: estafilococos, estreptococos e pneumococos.
Em março de 1886, Pasteur apresentou os resultados para o tratamento da raiva na Academia de Ciências Francesa e foi então convidado a criar um centro para produção de vacina anti-rábica. Foi construído o Instituto Pasteur, idealizado para ser um centro de tratamento da raiva, de doenças infecciosas e educação.
O que mais motivava Pasteur era seu caráter humanista, todo seu trabalho foi desenvolvido com o intuito de melhorar a condição humana.
Louis Pasteur faleceu aos 73 anos, em 28 de setembro de 1895, em Chateau de Villeneuve l'Etang.

http://www.pasteur.saude.sp.gov.br
http://www.feesp.com.br


Papa João Paulo II

Localizada na Catedral Metropolitana, a escultura de bronze do Papa João Paulo II foi encomendada em 1987 pelo arcebispado. A autoria foi do escultor peruano Agostinelli, Maria. (http://www.itaucultural.org.br)



http://www.catedral.com.br/
 

Karol Wojtyla nasceu em 18 de Maio de 1920 em Wadowice, Sul da Polônia. Em outubro de 1942, Karol entrou no seminário criado pelo Arcebispo de Cracóvia, Dom Adam Stefan Sapihea. Em 1 de novembro de 1946, à idade de 26 anos, Karol Wojtyla foi ordenado sacerdote no Seminário Maior de Cracóvia e celebrou sua primeira Missa na Cripta de São Leonardo na Catedral de Wavel. Em 23 de Setembro de 1958 foi consagrado Bispo Auxiliar do Administrador Apostólico de Cracóvia, Dom Baziak, convertendo-se no membro mais jovem do Episcopado Polonês. Em 13 de janeiro de 1964 faleceu Dom Baziak, assim sendo Dom Wojtyla ocupa a sede de Cracóvia como titular. Dois anos depois, o Papa Paulo VI converte Cracóvia em Arquidiocese. Em maio de 1967, aos 47 anos de idade, o Arcebispo Wojtyla foi criado Cardeal pelo Papa Paulo VI.
Em 1978 morre o Papa Paulo VI e é eleito novo Papa o Cardeal Albino Luciani de 65 anos quem tomou o nome de João Paulo I. Entretanto, falece aos 33 dias de sua nomeação.
Em 16 de outubro de 1978, logo depois de um novo conclave, o Cardeal polonês Karol Wojtyla é eleito como o sucessor de São Pedro, quebrando a tradição de mais de 400 anos de escolher Papas de origem italiana. Em 22 de outubro de 1978 foi investido como Sumo Pontífice assumiu o nome de João Paulo II. Em 13 de maio de 1981, é baleado pelo turco Mehmet Ali Agca na Praça de São Pedro, diante de 10 mil fiéis.Em 05 de outubro de 1993, condena os métodos contraceptivos, o homossexualismo, o adultério e o aborto na Encíclica "Veritatis Splendor".

Publicou em 1996 o livro "Dom e Esperança no 50.º aniversário de minha ordenação sacerdotal". Em 11 de março de 2001, fez a maior beatificação da história da igreja, 233 mártires da Guerra Civil Espanhola (1935-39). João Paulo II faleceu no dia 2 de abril de 2005, no Palácio Apostólico.
“Vim, como mensageiro da verdade e da esperança, para confirmá-los na fé e lhes deixar uma mensagem de paz e reconciliação em Cristo”. (Janeiro de 1998)

http://www.catolicanet.com.br
http://pt.wikipedia.org/wiki
http://www.vatican.va
http://www.dcomercio.com.br


<< anterior

[Esculturas]
próxima >>