O Acervo Escultórico do Rio de Janeiro

 
pag 13


Monumento a Alberto I, rei dos Belgas



Diário de Notícias. Monumentos da Cidade, Rio de Janeiro - 1946
 
O pequeno monumento está localizado em Copacabana.Sobre um baixo pedestal de cantaria, tendo dois degraus e 2,5m em cada lado, ergue-se uma coluna de granito de quatro faces, no alto da qual assenta o busto do rei, trajado com seu uniforme militar.

Alberto I, rei dos belgas, nasceu em Bruxelas no ano de 1875. Sem ter nascido rei e sem a pretensão de sê-lo, o acaso o colocou no trono pela morte inesperada do seu irmão mais velho, filho do conde de Flandres. Preparou-se para o seu cargo de soberano, interessando-se por todos os detalhes da vida econômica da Bélgica, por suas colônias e a população trabalhadora. Possuía uma cultura sólida e agudo espírito de reflexão e assim conseguiu depressa a confiança do povo Belga.
Durante a conflagração européia, de 1914 a 1918 a figura de Alberto I ganhou excepcional relevo,pois lutou valorosamente a frente de suas tropas. Vitima de um acidente faleceu em 1934, sucedendo-o no trono o príncipe Leopoldo, seu filho.

MONUMENTOS DA CIDADE – REPORTAGEM PUBLICADA PELO DIÁRIO DE NOTÍCIAS, 1946, RJ


Monumento da Amizade

A obra do escultor americano Charles Keeke é uma peça inteiriça, representando uma mulher de pé, sustentando com a mão direita uma palma de louros e com a esquerda os pavilhões americano e brasileiro, ornados por filhas de louro. Na cabeça sustenta uma coroa de louros sobre o barrete frígio. A estátua mede 4,20 m de tamanho e pesa 8 toneladas.

Para testemunhar o afeto dos EUA ao nosso país e por iniciativa da Amercia Chamber of Commerce, na data da comemoração do primeiro centenário da emancipação política do Brasil, aquela instituição de classe americana organizou uma comissão com o fim de angariar donativos ao povo brasileiro. A estátua foi inaugurada na Praça dos Estados Unidos, no cruzamento das avenidas Presidente Wilson e Aparição Borges, a 4 de julho de 1931. Mais tarde, em 4 de julho de 1942 foi reinaugurada na Praça Quatro de Julho, em frente a Embaixada dos Estados Unidos.
O Monumento representa uma mulher de pé tendo na mão direita uma palma de louros e na esquerda as bandeiras do Brasil e dos Estados Unidos. No pedestal do monumento existem dois medalhões com as efígies de Washington e José Bonifácio e logo a seguir em letras de bronze diz: ‘Amizade do povo americano ao povo brasileiro- 07/09/1822- 07/08/0922.’

MONUMENTOS DA CIDADE – REPORTAGEM PUBLICADA PELO DIÁRIO DE NOTÍCIAS, 1946, RJ
CARLOS SARTHOU - AS ESTÁTUAS DO RIO DE JANEIRO, LEO EDITORES, RJ

 


Acervo do professor Paulo Bodmer

Monumento a João Pandiá Calógeras



Acervo do professor
Paulo Bodmer
 

O busto, em bronze, fundido na casa Gravina, assenta um pedestal artisticamente trabalhado em granito preto polido. O monumento mede 1,80m de altura. (Monumentos da Cidade – Reportagem publicada pelo Diário de Notícias, 1946, RJ)

João Pandiá Calógeras nasceu em 19.06.1870 no Rio de Janeiro. Filho de Michel Calógeras e Júlia Ralli Calógeras. Neto de João Batista Calógeras, diretor da Secretaria de Estado nos Negócios do Império e 1º Oficial do Gabinete no Ministério dos Negócios Estrangeiros. João Pandiá Calógeras forma-se engenheiro em 1890.
Eleito Deputado Federal por Minas Gerais diversas vezes, é autor da Lei Calógeras, que regula a propriedade das minas. Participa das III e IV Conferências Pan-Americanas e da Conferência de Paz em Versailles
Ministro da Agricultura, Comércio e Indústria no Governo Venceslau Brás, estuda a substituição da gasolina pelo álcool, as reservas de riquezas naturais e promove o início do crédito agrícola. Ainda no Governo Venceslau Brás, assume a pasta da Fazenda. Reorganiza o Banco do Brasil e combate fraudadores.
No Governo Epitácio Pessoa é nomeado Ministro da Guerra. Cria o Código de Organização Judiciária e do Processo Militar, organiza as esquadrilhas de aviões de observação, bombardeio e caça e intensifica a construção de quartéis pelo país.
Historiador, geógrafo, escritor e jornalista, em 1933 recebe a maior votação no país para deputado: é eleito por Minas Gerais para participar da Assembléia Constituinte Federal. Morre em 21.04.1934, em Petrópolis.

http://www.casaruibarbosa.gov.br


<< anterior

[Esculturas]
próxima >>