O SUÍNO FILÓSOFO

Um suíno deixa-se engordar por longo tempo, gozando da vida sem cuidar do dia de amanhã, vendo no dono um escravo, feito para atender-lhe às necessidades.
Aproxima-se no entanto o dia da festa em que vai ser sacrificado para regalo da família. Percebendo o propósito que há de se lhe tirar a vida, o suíno pondera sobre a sua dívida de gratidão, para com aquele que o tratou tão generosamente, o obriga a alimentá-lo com a própria carne. Decide-se honestamente pela negativa e vai então, com seu habitual bom humor, comer ao lado de sua prisão, hervas venenosas conhecidas só por ele. No dia seguinte, anfitrião e convivas, lamentando a ingratidão do suíno, culpavam-no de haver violado as leis da comunidade.

Joaquim Nabuco
"Pensamentos Soltos"

[Brasil Antigo]  [Rio Antigo]  [Landmarks]  [Veleiros]  [Santos=Dumont]

[Projetos]