PAÇO IMPERIAL



"Portugal", o caminho mais curto entre a América e a Europa. Col. Klaus W. Gruner

PORTUGAL DOS CARTÕES POSTAIS

        Existem muitas maneiras de evocar e de trazer Portugal ao Brasil: pela História e pela Música, pela Epopéia pela Literatura, pelo Folclore pela Gastronomia, pela Arte e pela Dança, pelo traje e pelo Teatro, pela Fotografia e pelo Cancioneiro popular. Faltava trazer o Portugal dos cartões-postais, a evolução de uma sociedade, geografia das províncias, os aspectos típicos de cada região, os fatos e as figuras marcantes da vida de um povo.
        Pois foi essa a proposta de Hélio Roberto. Ao trazer ao Brasil mais de 700 cartões-postais da coleção de Klaus Werner Gruner – um alemão nascido na Turíngia, que vive em Lisboa há muitos anos e cuja paixão pela cartofilia levou-o a juntar um acervo maravilhoso de postais antigos – esse brasileiro tão nosso amigo, Hélio Roberto, dá-nos a oportunidade de conhecer, pela primeira vez deste lado do Atlantico, o valor e a raridade de muitas peças da coleção de Gruner, que são um verdadeiro encantamento para a alma e os olhos lusíadas.
        Como se não bastasse, a mostra é feita com um “décor” especial – no Paço Imperial, cuja arquitetura da primeira metade do século XVIII, com suas arcadas e pés direitos, seus pátios amplos e sua traça, constitui um dos mais belos legados dos portugueses ao Brasil.
        Eis uma iniciativa enriquecedora, que nos cabe elogiar e agradecer em nome da nossa Comunidade: todos já conhecíamos Portugal pelo Fado e pelas partituras barrocas; pelo vira minhoto e pela doçaria do Algarve; pela prosa do Eça e pelo vernáculo de Camilo; pelos sonetos do Antero e pelos heterônimos de Pessoa; por Medina e por Malhoa; pelo Amadeu e pelo Almada Negreiros; pelo Antônio Nobre e pelo Sá-Carneiro; pelos cantares de amigo e pelos cantares de escárneo: agora, vamos conhecer esse Portugal pelos velhos cartões-postais.

A . Gomes da Costa
Presidente da Federação das Associações
Portuguesas e Luso-Brasileiras


        There are several ways of recalling and bringing Portugal to Brazil: through History and Music, through Epics and through Literature, through Folklore and Gastronomy, through Art and Dance, through Costume and the Theatre, through Photography and Popular Songs. The on that was still missing was the Portugal of Postcards, which showed the evolution of society, the geography of the provinces as well as the typical characteristics of each reagion as well as the remarkable figures in the life of a people.
        That was Helio Roberto’s proposition. Bringing over to Brazil 700 postcards belonging to Klaus Werner Grunes – a German citizen born in Turingia, who has lived in Lisbon for several years, and whose passion for deltiology led him to amass a wonderfull collection, - Helio Roberto, this great Brazilian friend of ours, give us the opportunity to acquaint ourselves, for the first time on this side of the Atlantic Ocean, with the value and rarity of many pieces of Gruner’s collection which are a true enchantment to Portuguese eyes and souls.
        As if this were not enough, the show is presented within a special décor – at the Imperial Court, whose architecture dating from the first half of the XVIIIth. Century, and whose arches and high ceilings, its patios and its design constitute one of the most beautiful Portuguese legacies to Brazil.
        It is an enriching initiative, to which we, in the name of our community, owe our thanks and praise: we were all acquainted with Portugal through the “Fado” and the barroque musical scores; through the “Vira”, from Minho and the sweet delicacies from Algarve; through Eça de Queiroz’s prose and Camilo’s sonnets and Pessoa’s pen names; through Medina and Malhoa; through Amadeu and Almada Negreiros; through Antonio Nobre and Sá Carneiro; through the friendly songs as well as scornful ones: we shall now come to know this Portugal through postcards of old.

A . Gomes da Costa
President of the Federation of the Portuguese and
Lusitanian-Brazilian Association

DOCUMENTO CULTURAL

        O Paço Imperial recebe a preciosa coleção de Klaus W. Gruner de cartões-postais portugueses, da virada do século até os anos 1930, com a certeza de estar dando uma contribuição cultural que ultrapassa os círculos de aficcionados para tocar afetivamente aos nossos irmãos portugueses que escolheram nossa terra para trabalhar e ter seus filhos. O cartão-postal – essa imagem portátil – resiste ao tempo e às inovações tecnológicas como a forma mais eficiente e rápida de sermos lembrados à distância pelos nossos entes queridos. Mas, à parte, esse papel, ele sobressai, através do tempo, como documento cultural inestimável e extremamente diversificado registrando instantes da vida cotidiana, hábitos, costumes, monumentos, paisagens, que sem o cuidado do colecionador estariam perdidos.
        Resta-me, apenas, registrar meus agradeci-mentos a Yolanda e Hélio Roberto pelo carinho e dedicação com que viabilizaram essa exposição e a todas as pessoas e entidades públicas e privadas que os apoiaram.

Paulo Sergio Duarte
Diretor do Paço Imperial



        The Imperial Court opens its doors o Klaus W.Gruner’s precious collection of Portuguese postcards, ranging from the turn of the century up to 1930, with the assurance that it is offering a cultural contribution that extends beyong the circle of enthusiasts. It affectionately reaches out to our Portuguese brothers who chose our land both to work and raise their children.
        The postcards – this portable image – resists against the passing of time and technological inovations as the most efficient and quickest way for our being remembered by our loved ones even at a distance. Besides this characteristic, the postcard also stands out throughout he ages as na incalculable and diversified cultural document that records moments of daily life, habits, customs, monuments and scenary, which without the collector’s care would be lost to the world.
        I can only register now my thanks to Yolanda and Hélio Roberto for the care and dedication which has made this exposition possible, as well as to all the public and private entities that supported them.

Paulo Sergio Duarte
Director of the Imperial Court

ESPAÇO NOBRE

        O Paço Imperial, o mais antigo palácio do Rio de janeiro, é um dos mais importantes e belos exemplares da arquitetura civil luso-brasileira. Sua referência cartográfica mais antiga remonta ao início do século XVIII, quando no local funcionava a Casa da Moeda, que fundia o ouro proveniente das minas e o Armazém d’el Rey. Adquirido pelo governo em 1743, esse espaço se transforma em Casa dos Governadores. Vinte anos depois, com mudança da capital para o Rio de janeiro, após uma série de reformas, o prédio passa a abrigas os Vice-Reis do Brasil.
        A vinda de D.João VI em 1808, traz nova ampliação do edifício, desta vez para receber a Corte Portuguesa, passando a denominar-se Paço Real como sede do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. Após a Independência sob o reinado dos imperadores D.Pedro I e D.Pedro II torna-se Paço Imperial.
        Palco dos mais importantes momentos da história brasileira, é nele que a Princesa Isabel, em 13 de maio de 1888, assina a Lei Áurea abolindo a escravidão. Com o advento da República em 1889, o edifício perde suas antigas funções, abrigando no local, o Departamento de Correios e Telégrafos, que durante um século oculta seu passado colonial sob camadas de massa.
        Em 1982 o Paço é entregue à Fundação Nacional Pró-Memória que, após três anos de cuidadoso trabalho de pesquisa histórica e restauro, devolve à população brasleira seu palácio agora reconstituído em seus valores arquitetônicos essenciais. Atuando como centro cultural desde 1985 o Paço dedica mais da metade dos seus 6.000m2 às atividades culturais mais diversas como lançamento de livros, cursos, espetáculos de dança, música e teatro. Em relação às artes plásticas, é hoje um dos mais nobres espaços do País, já tendo abrigado mostras como as de Picasso, Miró, Gaudí, Chagall, Segall, Sergio Camargo e Tesouros do Kremlin entre outros.


        The Imperial Court, the oldest palace in Rio de Janeiro, is one of the most bautiful and important examples of Portuguese-Brazilian civilian architecture. Its oldest cartographic reference dates back to the beginning of the XVIIIth century. It was, at that time the place where the gold, brought over from the mines, as well as the Del Rey warehouses were located.
        Having been acquired by the Government in 1743, this area becomes the Governor’s House. Twenty years later, with the moving of the capital to Rio de Janeiro, and after much refurbishing the building becomes the residence of the Vice Roys of Brazil.
        The arrival of D. João the VI in 1808 brings about na expansion of the building in order to accomodate the Portuguese Court, and a change of name to Royal Court as the seat of the United Kingdom of Portugal, Brazil and Algarves.
        Following the independence of Brazil under the rule of Emperors D.Pedro I and D.Pedro II it becomes the Imperial Court.
        The court is the stage of some of the most important moments in Brazilian history. It was there that in May 13, 1888, Princess Isabel signed the Golden Law (Lei Áurea) that abolished slavery in Brazil.
        With the institution of the Republic in 1889 the building loses its former functions and becomes the Post Office building, which then hides its colonial past for almost a century under several layers of plaster.
        In 1982 the Court is handed to the National Pro Memory Foundation which, after three careful years of lavorious historical research and restaurations, returns the Palace, now rebuilt in its essential architectural values, to the Brazilian people.
        Acting as the Cultural Center since 1985, he Palace now offers over half of its 6000 m2 to the most varied cultural activities such as book publishings, dance shows, courses, music and theatre. In regard to pictorial arts, it has become one of the noblest spaces in the country, having presented exhibitions of works by Picasso, Miró, Gaudi, Chagall, Segall, Sergio Camargo and the Kremlin Treasures among others.


[Recordação] [Capas] [Equipe] [Introdução] [Projeto] [Painéis]  
[Cultura] [Seminários] [Mapa do Site]